Cozinha com ilha: truques para ter uma

As cozinhas abertas fazem sucesso hoje em dia. A retirada das paredes e a integração com a sala de jantar ou TV pode ser feita de diferentes maneiras e a mais interessante delas é através das ilhas de cozinha. E isso porque é um elemento versátil, moderno e extremamente funcional. Claro, para ter uma ilha de cozinha em casa é necessário contar com um bom projeto e seguir alguns conselhos. Trazemos algumas dicas para você que está pensando em ter uma em casa.
Cozinha com ilha: truques para ter uma Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

Como eliminar a energia negativa da casa

Com o final do ano se aproximando nos vemos em um ótimo momento para realizar limpezas, atrair bons fluídos e renovar o astral de nossa casa. Pensar em reenergizar nossos ambientes e eliminar tudo aquilo que já não serve mais é uma maneira de começar o ano que se inicia com o pé direito e cheio de energias positivas. Que tal começar a se preparar para 2020 desde já eliminando as energias ruins que podem estar passeando por sua casa?
Como eliminar a energia negativa da casa Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

Materiais para banheiro e cozinha super fáceis de limpar

Na hora de reformar uma cozinha e um banheiro costumamos pensar muito nos materiais que vamos utilizar. Em muitas ocasiões nos apaixonamos por materiais que talvez sejam mais complicados de manter devido a sua textura ou porque são mais delicados. Outras vezes, optamos pela praticidade e por materiais que são “aptos” para crianças, disfarçam manchas e, além disso, que a limpeza não exija um esforço extra. As cerâmicas e porcelanatos sem juntas… são alguns dos materiais que te recomendamos para o banheiro e cozinha porque são muito fáceis de limpar. Te explicaremos por quê!
Materiais para banheiro e cozinha super fáceis de limpar Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

Banheiros coloridos: uma aposta certeira

Hoje em dia os banheiros da casa são reformados e decorados para que ganhem protagonismo no imóvel. Aquela velha tendência de banheiros totalmente clarinhos, em tons de branco e bege, ficou para trás quando a indústria de materiais para a construção começou a criar materiais modernos e inovadores. Podemos encontrar opções encantadoras em questão de revestimentos, bancadas e complementos que nos animam a colocar um charmoso toque de cor na decoração. Hoje trazemos algumas ideias para você colorir seu banheiro sem extrapolar.
Banheiros coloridos: uma aposta certeira Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

A mansão dos sonhos: inspire-se com o projeto do lar de Gisele Bünchen e Tom Brady

Você já pensou em receber um convite para conhecer a mansão do casal Gisele Bünchen e Tom Brady? Pois é justamente essa a proposta desse texto: levá-lo para um passeio pela residência dos astros que exalam bom gosto e requinte. A intenção é mostrar como a personalidade e o estilo de vida do casal é refletido em todos os detalhes do projeto assinado pelo arquiteto Robert Landry. Quem sabe você não encontra inspiração para a decoração de seu imóvel?
A mansão dos sonhos: inspire-se com o projeto do lar de Gisele Bünchen e Tom Brady Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

Piscinas pequenas: como não morrer de amores

Quando falamos em ter uma piscina em casa logo nos vem à cabeça quintais e jardins amplos para instalar uma piscina de bom tamanho. Ou então olhamos para o nosso pequeno quintal e pensamos que seria impossível a instalação de uma piscina nele. Mas nem sempre precisa ser assim, é possível ter uma piscina pequena em casa e que, apesar do tamanho reduzido, proporcionará momentos de prazer para você e sua família.
Piscinas pequenas: como não morrer de amores Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

Tijolo Ecológico: o que é, tipos, vantagens e desvantagens

Você já conhece o tijolo ecológico? Sabe a diferença dele para o tijolo convencional?

Bom, o Tijolo Ecológico tem este nome pois o seu processo de produção é
mais sustentável, já que não necessita da queima de madeira para o
funcionamento do forno, como ocorre em um olaria convencional. Desta forma,
auxilia na redução do desmatamento e gera menor emissão de gases tóxicos.

Para a produção do tijolo
ecológico se utiliza normalmente apenas solo, cimento e água. Alguns
fabricantes ainda vão além e já utilizam também diversos rejeitos para a
produção destes tijolos, como bagaço de cana, raspas de pneus, etc. Desta
forma, estes fabricantes conseguem ser ainda mais sustentáveis. Legal, não?

Mas calma, as vantagens não param por aí!!

Este tipo de tijolo tem um sistema de encaixe e um desvio baixíssimo de dimensões, o que facilita bastante no processo de assentamento. Devido a isso, não se costuma utilizar argamassa convencional para o assentamento destes tijolos. Normalmente se utiliza somente argamassa polimérica para auxiliar na fixação, conforme demonstrado na Figura 2. A argamassa convencional só é utilizada para o assentamento da primeira fiada. Desta forma, se usa menos material e se reduz ainda mais o impacto ambiental.

Figura 2 – Assentamento do tijolo ecológico

Outra vantagem interessante é que
os furos existentes no tijolo facilitam a passagem de tubulações elétricas e
hidráulicas, reduzindo o retrabalho e gerando menos entulho. Estes tijolos
também são vendidos no formato de canaleta, ajudando ainda mais na passagem das
tubulações.

Além de todos os benefícios comentados até aqui, estes Tijolos Ecológicos ainda apresentam um excelente isolamento térmico.

Figura 3 – Passagem de tubulação sem recortes

Que legal! Mas se tem tantos benefícios, por que não são
usados em todas as obras?

As principais razões são o
desconhecimento e o custo. Como é um produto relativamente novo, as equipes de
obra ainda não estão acostumadas a trabalharem com ele. Além disso, o custo da
peça de tijolo é maior, o que gera a impressão de que se gastará mais na
construção da parede. Entretanto, isso não é verdade. Devido à redução da mão
de obra e de material que este tipo de produto proporciona, a economia final
pode chegar a quase 40%.

Da mesma forma que o tijolo
cerâmico convencional, o Tijolo
Ecológico
também não tem função estrutural. Ou seja, há a necessidade da
construção de pilares e vigas. No caso de edificações de único pavimento,
normalmente se embute estes pilares a cada 1 metro (ou em cantos) dentro dos
furos do tijolo, de forma que eles não fiquem aparentes. É sempre importante
informar o engenheiro estrutural sobre a intenção de utilizar este material.
Desta forma, ele já dimensiona corretamente o espaçamento, dimensão e armadura
dos pilares necessários.

Além disso, o Tijolo Ecológico é uma solução
construtiva modular. Devido a isso, é importante o arquiteto prever a
utilização deste material em seu projeto, uma vez que as medidas das paredes
devem respeitar as dimensões destes tijolos e, com isso, evitar que sejam
necessários cortes, fazendo com que eles percam parte de suas vantagens.

Outro ponto positivo é que este tijolo tem um grande apelo estético e passa aquele ar de ambiente rústico. Por isso, ele pode ser deixado sem acabamento. Claro, se preferir, ele também pode ser rebocado. Mas caso você opte por não realizar o acabamento, é sempre importante impermeabilizar a parede para que não passe umidade para dentro da casa.

Agora que você já conhece o tijolo ecológico. Ficou interessado em utilizar na sua obra?

Imagens: Idea Brasil, Tijolo Solocimento, Divulgação

The post Tijolo Ecológico: o que é, tipos, vantagens e desvantagens appeared first on Portal Amigo Construtor.

Tijolo Ecológico: o que é, tipos, vantagens e desvantagens Publicado primeiro em https://www.amigoconstrutor.com.br

Como calcular o volume de concreto para lajes, vigas e pilares

Calcular o volume de concreto necessário
para uma obra é fundamental para garantir a compra correta do material,
evitando a falta ou o desperdício.

Felizmente, a matemática básica nos ajuda a fazer esse cálculo
de maneira simples. Porém, é importante ressaltar que o cálculo varia de acordo
com o tipo de laje que você irá construir. Nas lajes pré-fabricadas, por
exemplo, você usará concreto apenas em seu capeamento. Já as lajes maciças têm
todo o seu preenchimento feito de concreto.

Neste post, você aprenderá como
calcular o volume de concreto na construção de lajes maciças
.
Em poucos passos, você poderá agilizar e muito a sua obra.

Neste exemplo, vamos imaginar que a concretagem será realizada
em 2 etapas. Na primeira, serão concretados somente os pilares até a altura da
face de baixo da viga. Já na segunda, serão concretadas as vigas e a laje.

Passo 1: calculando
o volume de concreto dos pilares

Primeiramente,
precisamos saber as dimensões dos pilares e o pé-direito da obra. No nosso
exemplo, vamos imaginar uma obra com pé-direito de 3,5 m e a forma da
construção conforme apresentado na Figura 1.

Figura 1 – Forma da Laje

Como as
vigas têm 50 cm de altura (ou 0,5 m), vamos considerar nesta etapa da
concretagem uma altura de concretagem de 3 m (3,5 m menos 0,5 m da viga).

Feito
isso, para saber a quantidade correta de concreto a ser utilizada em seus
pilares, basta calcular o volume do espaço a ser preenchido, seguindo o
seguinte procedimento:

  1. O primeiro passo é calcular a área de cada pilar. No
    nosso caso, seria 0,2 m x 0,4 m, totalizando uma área de 0,08 m².
  2. Feito isso, multiplicamos então a sua área pela
    altura a ser concretada de cada pilar, ou seja, 0,08 m² x 3,0 m, totalizando um
    volume de 0,24 m³ por pilar. Como na obra temos 4 pilares, teremos então um
    volume total de 0,96 m³.

Resumo

  1. Área do pilar: lado x
    lado = área em m²
    Exemplo: 0,2 m x 0,4 m = 0,08 m²
  2. Volume de concreto: área
    x altura (descontando a viga) = volume de concreto em m³
    Exemplo: 0,08 m² x 3,0 m = 0,24 m³
  3. Volume de concreto
    total: volume de cada pilar multiplicado pelo número de pilares Exemplo: 0,24 m²
    x 4 = 0,96 m³

Passo 2: calculando
o volume de concreto da laje

Para a nossa segunda concretagem, precisamos calcular o volume
das lajes e da viga. O procedimento é muito similar ao que foi realizado para
os pilares. Vamos iniciar aqui pelo cálculo da quantidade de concreto para a
laje:

  1. Novamente, o primeiro passo é calcular a área. Se é
    uma laje de formato quadrado, com 5 metros de comprimento em cada lado,
    conforme a Figura 1, você terá uma área de 25 m².
  2. Em seguida, você irá multiplicar o valor da área
    pela espessura da laje e, assim, obter o volume de concreto necessário.
    Seguindo com o nosso exemplo, digamos que ela tenha 12 cm de espessura, o
    equivalente a 0,12 m. Nesse caso, seriam necessários 3 m³ de concreto.

Resumo

  1. Área da Laje: lado x
    lado = área em m²
    Exemplo: 5 m x 5 m = 25 m²
  2. Volume de concreto: área
    x espessura = volume de concreto em m³
    Exemplo: 25 m² x 0,12 m = 3 m³

Passo 3: calculando o volume de concreto das vigas

Por último, calculamos o volume de concreto das vigas.
Ressaltamos novamente que todas essas informações apresentadas aqui são válidas
apenas para a construção de lajes maciças.

Calcular o volume de concreto para vigas não difere muito do
cálculo de volume das lajes e dos pilares. Basta multiplicar a área de seção da
viga pelo comprimento. Uma das diferenças está nos 12 cm de espessura da laje,
que já foram contabilizados no volume de concreto da laje e agora precisam ser
descontados na hora do cálculo do volume da viga.

Figura 2 – Corte da Estrutura

Por exemplo: na mesma obra, usaremos quatro vigas de concreto
com largura de 20 cm, altura de 50 cm e comprimento de 5 metros. Neste caso,
consideraremos a altura da viga para o cálculo como sendo 50 cm menos a altura
da laje (12 cm), ou seja, 38 cm, conforme Figura 2.

Além disso, é importante também observar que em duas das vigas
deve-se considerar um comprimento menor do que os 5m para não contabilizar duas
vezes o volume da intersecção das vigas. Para estas outras duas vigas, se
considera o comprimento total (5m), descontado duas vezes a larguras das vigas
(20 cm). Neste caso, os comprimentos a serem considerados seriam 5 m menos 2 x0,2
m, ou seja, 4,6 m. – Esta situação fica mais clara analisando a Figura 1
novamente.

Multiplicando-se a altura de 38 cm pela largura de 20 cm, temos
a área da viga e multiplicando-se esta área pelo comprimento, temos o seu
volume.

Resumo

  1. Área da viga: largura x
    (altura – espessura da laje) = área em m²
    Exemplo: 0,20 m x (0,50 m – 0,12 m) = 0,076 m²
  2. Comprimento das vigas
    menores
    Exemplo: 5 m – 2 x 0,2 m = 4,6 m
  3. Volume de concreto das
    vigas: área de seção das vigas x comprimento das vigas = volume em m³
    Exemplo: 2 x 0,076 m² x 5 m = 0,76 m³ e 2 x 0,076 m² x 4,6 m = 0,69 m³
  4. Volume total das vigas
    Exemplo: 0,76 m³ + 0,69 m³= 1,45 m³

Passo 3: somam-se os
volumes de concreto encontrados

Agora que você já sabe a quantidade de concreto necessária para
as vigas e laje, pode-se calcular o volume total desta etapa da concretagem:

Volume Laje e Vigas
= Volume de concreto da laje + Volume de concreto das vigas

Exemplo: 3 m³+ 1,45 m³=
4,45 m³

Caso se deseje saber o volume total de concreto da obra, é só
somar também o volume dos pilares:

Volume total =
Volume de concreto da laje + Volume de concreto das vigas + Volume dos pilares

Exemplo: 3 m³+ 1,45 m³+
0,96 m³= 5,41 m³

Tendo o volume total, é só partir para a última etapa.

Passo 4: considere as
perdas da obra

No dia a dia na obra, é natural haver perdas de material. Por
isso, essas perdas já devem estar previstas no seu projeto.

Na etapa anterior, você descobriu a quantidade necessária de
concreto para a sua obra, mas é importante que você encomende ou produza na sua
obra um pouco mais do que esse valor. O aconselhado é que o excedente seja pelo
menos 5% a mais.

A fórmula para esse cálculo é simples:

Volume final = (1 +
Coeficiente de Perda) x (Volume de Concreto) m³

Exemplo: (1 + 0,05)
x 5,41 m³ = 5,68 m³

Viu como é fácil? Agora, não haverá erro na hora de produzir ou comprar
o concreto para a sua obra.

The post Como calcular o volume de concreto para lajes, vigas e pilares appeared first on Portal Amigo Construtor.

Como calcular o volume de concreto para lajes, vigas e pilares Publicado primeiro em https://www.amigoconstrutor.com.br

Piso de madeira: diferença entre chevron e espinha de peixe

Os pisos de madeira são apaixonantes. São os mais escolhidos quando queremos aportar calidez ou um visual mais neutro para os ambientes. Podemos optar pelo piso de madeira em diferentes cores, espécies de madeira e maneira de colocação sendo o mais interessante deles os tacos ou tacões. Este tipo de piso permite diferentes tipos de paginações na hora da instalação o que aporta um charme a mais na decoração do ambiente. Hoje falaremos de dois tipos de colocação que estão em alta: chevron e espinha de peixe.
Piso de madeira: diferença entre chevron e espinha de peixe Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/

Varanda com churrasqueira: dicas para ter a sua

Se tem um espaço que deve ser valorizado em qualquer casa é a varanda. Que privilégio poder contar com esta área em casa onde relaxar, descontrair, receber amigos e passar alguns momentos regados a ar fresco. Se falamos de uma varanda com churrasqueira então, melhor ainda! Assim temos a desculpa perfeita para colocar todo o empenho na hora de ambientar e decorar este espaço. Se você está buscando ideias para sua varanda com churrasqueira este artigo é para você!
Varanda com churrasqueira: dicas para ter a sua Publicado primeiro em https://projetos.habitissimo.com.br/